Como incluir salada no cardápio alimentar

As saladas normalmente são incluídas em uma reeducação alimentar como entrada por causarem saciedade e facilitar a diminuição na refeição principal.

Quem tem o hábito de comer salada diariamente tem maior dificuldade de fazer uma refeição sem ela. Acontece que o hábito de comer salada acompanhada das refeições ainda não é recorrente no cardápio brasileiro. A população brasileira ainda prefere aquela pizza, batata frita e alimentos repletos de gorduras. Por isso salientamos postagens destinadas aos benefícios de buscar uma alimentação mais saudável e formas de conseguir isso sem deixar o sabor de lado. Até porque comer uma coisa sem que você sinta vontade, é desanimador.

As saladas têm muitos benefícios por possuírem um alto teor de água e baixas calorias, ajudando assim a hidratar o corpo e perder peso. São facilmente digeridas pelo organismo, com isso você não se sente pesado ao ingerir.

Saladas não precisam ser servidas como entradas. Elas caem muito bem como pratos principais ao serem servidas com proteínas. Elas causam saciedade por possuírem um alto valor biológico de aminoácidos essências, além de serem ricas de nutrientes. Ou seja, você come alimentos saudáveis e tem a sensação de sacies sem nenhum desconforto ao organismo, algo que, por exemplo, com alimentos mais pesados poderia acontecer. Confira algumas dicas de como você pode adaptar a salada no seu cardápio alimentar.

COMO INCLUIR NO CARDÁPIO:

MANEIRAS: Elas podem ser incluídas em uma reeducação alimentar de forma prática e rápida como cruas, refogadas e até mesmo junto as refeições principais para quem não tem o hábito de consumi-las como entrada.

IDEIAS: Já legumes e verduras podem ser preparados com carnes, arroz e massas. Deixe sua criatividade fluir ou pegue receitas de cardápios com temática de reeducação alimentar.

SUBSTITUIÇÃO: Ao invés de comprar um lanche de costuma, prefira algo mais saudável. Podemos incluir facilmente as oleaginosas como: castanhas, amêndoas, nozes e outras, que são ricas em ômega 3 que é considerada a gordura boa, no dia a dia sem problemas.

COMO TEMPERAR SALADAS:

E para temperar, o azeite de oliva é uma opção muito saborosa, contribui no controle do colesterol e favorece a saúde cardiovascular o limão também é uma pedida por conter vitamina C que ajuda na absorção de ferro.

Na Dna Natural temos muitas opções de saladas e acompanhamentos, além da opção dos adicionais. Além disso você também pode montar a salada do jeito que preferir, com os legumes e frutas que mais gosta. ;)

 

Proteína vegetal: Tudo que você precisa saber

Ao substituir a proteína animal pela vegetal é necessário alguns cuidados

Pouca gente sabe que há derivações de proteínas, ou seja, existe dois tipos: a de origem animal e vegetal. É através da proteína vegetal que pessoas vegetarianas e veganas repõem a carência de carne animal em seu organismo. Proteína animal é a que você provavelmente mais conhece, é encontrada em carne vermelha, peixe, ovo, leite e queijo. É comum ouvirmos falar em dietas proteicas, alimentos ricos em proteína animal, mas uma grande dúvida é se podemos encontrar proteínas vegetais no nosso dia a dia… Vamos explicar e mostrar que além de fácil, você consegue substituir uma proteína por outra.

O que são as proteínas?

As proteínas são uns dos principais macronutrientes consideradas como “base” da alimentação dos brasileiros, elas são substâncias formadas por um conjunto de aminoácidos ligados entre si. Os aminoácidos são moléculas formadas por carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio, essenciais para o corpo humano. As proteínas  exercem as mais diversas funções no organismo, participando inclusive da composição das células. Dentre as funções atribuídas às proteínas, podemos citar:

  • Atuam como enzimas,
  • Contração muscular,
  • Hormônios,
  • Anticorpos,
  • Coagulação

Onde encontrar proteína vegetal?

Conseguimos encontrar proteínas em vegetais tão facilmente quanto em carnes, basta ter um pouquinho de vontade a mais para procurar. Os alimentos mais conhecidos ricos em proteínas vegetais são: soja, quinoa, lentilha, hortaliças, tofu, feijão e ervilhas. Aos ser combinados com carboidrato, como o arroz por exemplo, o valor nutritivo da refeição  aumenta.

As proteínas vegetais são mais consumidas pelo público vegetariano. Mas podem ser utilizadas em uma dieta equilibrada para manter o bom funcionamento do corpo de qualquer rotina alimentar, além de serem importantes componentes para o bom funcionamento do nosso organismo. Diferente das proteínas vegetais, as de origem animal possuem todos os aminoácidos essenciais.

Cuidados ao substituir 

Ao substituir a proteína animal pela vegetal é necessário alguns cuidados, algumas combinações e balanceamento dos alimentos garante o aporte adequado de todos os aminoácidos necessários.